Sejam bem vindos ao After Brasil | A sua primeira , maior e melhor fonte sobre os livros da escritora Anna Todd no Brasil

Editora Paralela, publica "Nothing More" no Brasil, por favor! #PublicaNMParalela
A equipe do After Brasil com o apoio dos Afternators brasileiros, a partir desta petição, pedimos formalmente que a Editora Paralela, responsável pelos livros da autora americana Anna Todd no Brasil (com ênfase na série After), que publique a duologia spin-off do personagem Landon Gibson; sendo o primeiro livro chamado de "Nothing More" e o seguinte "Nothing Less" nos Estados Unidos. Em tradução livre, o nome dos livros em nosso país seriam "Nada Mais" e "Nada Menos". (...)
Anna Renee Todd (nascida em 21 de Março de 1989) é uma autora americana conhecida por sua série de livros AFTER, que teve o seu início como uma fanfiction da One Direction, publicada no site de compartilhamento de histórias Wattpad. (...)
Anna Todd: “O futuro de jovens autores é em plataformas digitais”
29 August 2016
Anna Todd: “O futuro de jovens autores é em plataformas digitais”
postado por Douglas Vasquez

A plataforma Wattpad gostaria de se tornar uma grande oportunidade para os autores que procuram invadir o cenário editorial.

A americana Anna Todd, autora do fenômeno editorial “After“, chagou à fama em 2013, graças à plataforma Wattpad e, três anos depois da exposição nas listas dos mais vendidos, continua a acreditar que este tipo de plataforma digital é a “única” saída para jovens escritores.

“O futuro dos jovens é em plataformas digitais. Editoras, ao menos nos EUA, estão apenas interessadas no habitual, querem apostar, com certeza em hits, e não procuram novos escritores”, lamentou Todd à Agência Efe, durante a feira do livro realizada na semana passada no Panamá.

Então as plataformas como o Wattpad se tornam uma grande oportunidade para os autores que procuram invadir o cenário editorial, ou que simplesmente querem ter um momento bom, escrevendo. “Existem histórias sobre qualquer coisa que você pode imaginar, pode até encontrar um livro sobre o Barack Obama tornando-se o Batman”, brincou.

“Outro ponto forte destas plataformas”, acrescentou, “é a interação e a proximidade que se desenvolve entre autores e leitores.” De acordo com a usuária de 27 anos, o Wattpad a ajudou a “dar continuidade à história” de amor entre Hardin e Tessa em detalhes de acabamentos que havia se esquecido.

“Em um capítulo de um dos livros, eu escrevi que o carro de um personagem era, na verdade, branco e na realidade, era vermelho e não havia me dado conta. Foi um leitor que me avisou!”, lembrou rindo.

A série “After” que consiste em seis livros, tornou-se um fenômeno editorial entre adolescentes e tem permitido esta jovem de Ohio a viver fazendo o que gosta.

Todd postou em Abril de 2013 o primeiro capítulo do que se transformaria em seu primeiro best-seller, o que acabou levando à 1 bilhão de leituras online. De acordo com a Metro, que publicou a série em espanhol, mais de 60 mil cópias dos dois primeiros volumes foram vendidos em dois meses e meio (!).

O trabalho é também um dos maiores expoentes do que é conhecido como “fanfiction”, um termo que pode ser traduzido como “ficção de fãs” e refere-se às histórias que os fãs escrevem sobre o mundo que admiram.

“Todo mundo tem sua própria definição do que é fanfiction. Pra mim, consiste em um fã se apropriar de um mundo que gosta tanto e moldá-lo à seu gosto”, admitiu.

A história começa quando Tessa Young entra na faculdade e conhece Hardin Scott, o bad boy do campus, cujo inicialmente o personagem é inspirado em um dos membros da banda britânica One Direction, Harry Styles.

“Ainda não conheço a One Direction pessoalmente, me dá medo conhece-los, tenho medo de me decepcionar. Eu não sei se leram os meus livros, mas sei que sabem de sua existência”, admitiu Todd, que está prestes a publicar mais dois livros de um personagem que está na série.

Muitos leitores têm comparado o universo criado por Todd com o best-seller erótico “Cinquenta Tons de Cinza”, mas ela não concorda, pois as histórias são “muito diferentes”, mas considera esta [comparação] uma honra.

Também foi dito que seus romances juvenis são machistas e promovem um relacionamento de dependência emocional e, inclusive a depreciação da mulher.

“Hardin (o protagonista) é obsceno, mas não é machista, é rude com todos, independente do sexo”, argumentou.

“Dizer que meus livros promovem a violência contra as mulheres é como dizer que ‘Game of Thrones’ incita a matar pessoas. Acho que existe uma grande diferença entre escrever sobre algo e promover”, resolveu.

Leia a matéria original, em espanhol, clicando aqui.

arquivado em: