Sejam bem vindos ao After Brasil | A sua primeira , maior e melhor fonte sobre os livros da escritora Anna Todd no Brasil
BuzzFeed News traz novas atualizações sobre o caso de assédio à Anna na Alemanha
POSTADO POR Douglas Vasquez EM 15.Oct ARQUIVADO EM:Anna Todd

A autora americana bestseller, Anna Todd, cancelou sua participação na Feira de Livros de Frankfurt após ter sido verbalmente assediada por um grupo de homens. O incidente aconteceu na noite de sexta no Marriott Hotel, em Frankfurt am Main.

“Eles nos chamaram de americanas estúpidas, repulsivas. Disseram que ninguém queria foder a gente. Ninguém quer nos tocar”, Todd conta ao BuzzFeed. Vídeos estão disponíveis na internet e confirmam isso.

Todd e suas acompanhantes pediram repetidamente para que os homens fossem embora. “Não importa se foi físico ou não. Aconteceu por horas a fio e foi traumático”, contou.

De acordo com Todd, um dos homens sentou-se em sua mesa, onde la, sua agente e assistentes pediram para que ele fosse sentar-se em outro lugar.

Alegações contra o Marriott Hotel

A equipe do bar e a segurança do hotel deu um pequeno aviso aos homens após os primeiros insultos, mas então garantiram novamente acesso ao bar e os serviram álcool. Então, de acordo com Todd, aconteceram novos insultos e o assédio. Apenas após vários pedidos da parte delas, o bar chamou a polícia.

Não está claro se o grupo de homens estavam hospedados no hotel. Segundo Todd, um dos homens estava com um cartão-chave do Marriott. O outro desapareceu depois em um dos elevadores.

Um empregado do Marriott disse ao BuzzFeed News ao telefone no sábado à tarde que ele foi instruído a não dar nenhuma informação sobre o incidente, pois o departamento de assessoria estaria de volta ao trabalho na segunda-feira pela manhã.

O gerente do hotel, Hansjörg Hefel, respondeu a outro pedido de comentário na segunda: “É nossa maior prioridade que os nossos clientes estejam confortáveis e seguros em nossa casa. Nós levamos muito a sério a responsabilidade e a tarefa.” Para proteger a privacidade dos visitantes, não poderão mais haver novas declarações sobre o caso.

Autora alega que foi forçada a deletar os vídeos

Anna Todd disse em uma conversa com o BuzzFeed News no Sábado que ela se sente de mãos atadas. O motivo pra isso é que a polícia a forçou a deletar a prova em vídeo de sua conta no Twitter.

Todd gravou vários vídeos durante o acontecimento e estão disponíveis no BuzzFeed News. De acordo com ela, foi oferecido a polícia assim que chegaram ao local como evidência. Os oficiais não quiseram assisti-los. Ao invés, eles pediram que se ela havia postado em suas redes sociais, que ela os deletasse.

Presumivelmente, o pedido se refere ao fato do Artigo de Direitos Autorais da Alemanha, que diz, “retratos podem ser distribuídos publicamente apenas com o consenso da pessoa retratada”. Todd também afirma que os oficias disseram que tirariam o celular dela se ela não deletasse os vídeos das redes sociais. A autora o fez, mas postou outro vídeo no Twitter onde não parecem os rostos dos homens.

Assista o vídeo dos homens insultando Todd na área do Marriott Hotel:

Após o incidente, Anna Todd declarou que não poderia mais participar da feira. O anúncio foi feito por sua agência Book Case e a editora alemã, Heyne-Verlag.

Anna Todd também comentou no Twitter: “Me perdoem por não participar da feira em Frankfurt, mas estes homens continuam sem identificação e não foram removidos do evento.”

A polícia de Frankfurt confirmou o incidente e escreveu um comunicado à imprensa: “Os oficiais foram chamados às 4 da manhã, pois havia acontecido uma disputa verbal entre dois grupos. Quando os policiais chegaram ao hotel, apenas um dos grupos foi encontrado. A americana de 29 anos reportou o contexto como um assédio. A polícia iniciou uma investigação neste sentido, com as motivações de insulto.”

Todd conta ao BuzzFeed News, no entanto, que um dos homens continuou a assediá-la quando a polícia já estava no lobby do hotel. “Às 5 da manhã, eu chorei e liguei para o meu marido. Um dos homens veio até a mim com a lanterna acesa no meu rosto (com seu telefone).” A polícia e a equipe do hotel disse a ela que ele apenas estava procurando por um anel nos arbustos. Inacreditável, Todd pensa.

“Machuca a minha carreira”

Anna Todd ainda tem mais uma semana na Alemanha, mesmo que ela queira apenas ir para casa. “Isso machuca a minha carreira”, diz a autora ao BuzzFeed News. Ela pensa no incidente todos os dias desde então.

“Eu me sinto horrível porque eu tive que desapontar várias pessoas. Também penso nos negócios, foi uma perda pra mim. Eu vim dos Estados Unidos até aqui, vendi muitos livros. Tudo porque o hotel não fez nada”.

Do Marriott, ela espera que o hotel reaja decisivamente na próxima vez que uma mulher for molestada. “A equipe de segurança deve expulsar homens como esses”.

Ela gostaria de dar continuidade no caso, tentando identificar a função e o nome dos homens, conta Todd. “Eles mexeram com a americana louca apoiadora do MeTodd errada”.

A assessoria de imprensa da Feira de Livros de Frankfurt disse ao BuzzFeed News ao telefone: “Estamos muito tristes que isso tenha acontecido. Nós nos arrependemos muito.” Anna Todd ainda não foi contatada, mas reuniões futuras com o hotel e sua editora estão sendo planejadas para entenderem melhor a situação.

Heyne Verlag, que publica Anna Todd na Alemanha, não quis comentar. “Anna Todd comentou pessoalmente em seu portal a respeito do processo, que representa o nosso lado, não há necessidade de acrescentar mais nada”, foi a resposta ao BuzzFeed News.

Bild: “Autora americana é assediada verbalmente em Frankfurt”
POSTADO POR Douglas Vasquez EM 13.Oct ARQUIVADO EM:Anna Todd

Um incidente ruim inflige a Feira de Livros de Frankfurt! A autora americana Anna Todd, de 29 anos, foi assediada verbalmente por um grupo de homens no lobby de seu hotel na sexta à noite. O ataque foi tanto, que a editora Heyne Verlag, onde os livros da escritora são publicados na Alemanha, teve que cancelar a sua participação de hoje.

Anna Todd comentou sobre o incidente em sua conta no Twitter. Ela escreveu que os homens a molestaram por várias horas, foram expulsos do bar do hotel nesse meio tempo e então voltaram.

“Desculpem-me se eu não puder mais fazer esse evento em Frankfurt, mas enquanto estes homens não forem identificados e removidos da Feira de Livros eu apenas não poderei dar os autógrafos. Eles nos chamaram de mulheres tristes e estúpidas das quais eles nem querem foder!”.

Além disso, ela escreveu que homens não eram alemães, que ela ama a Alemanha e prometeu para seus leitores alemães que irá voltar com certeza para um evento no futuro — mas apenas se estes homens não estiverem mais lá. Há também um vídeo, mas ela foi forçada pela polícia a deletá-lo, como escreve no Twitter. Os oficiais não foram avisados com antecedência, contam ao BILD. Não há mais informações da editora Heyne-Verlag.

A autora americana ficou famosa com seu primeiro livro na plataforma Wattpad. Ela escreveu a história de uma estudante que se apaixona por um tatuado recluso chamado Hardin Scott. Ela escolheu esse nome por causa de sua paixão pelo vocalista da One Direction, Harry Styles.

Ela tem um contrato com a editora e os livros na Alemanha foram publicados em quatro partes: After Passion, After Truth, After Love e After Forever.

Artigo traduzido por After Brasil. Leia o original em alemão.

Promiflash: “Autora de After, Anna Todd, atacada verbalmente em Frankfurt”
POSTADO POR Douglas Vasquez EM 13.Oct ARQUIVADO EM:Anna Todd Eventos

Incidente terrível na Feira de Livros de Frankfurt! Devemos tomar como lição o que acontece com a autora de sucesso, Anna Todd, na verdade. Com a Série After, a americana se tornou famosa mundialmente nos últimos anos com uma base de fãs leais a ela aqui na Alemanha. No entanto, a longa espera de seus fãs para vê-la em Frankfurt teve que ser cancelada muito depressa: Anna foi atacada verbalmente por um grupo de homens por horas — e agora ela não se sente mais segura!

A editora Heyne revelou pelo Twitter: “Anna foi verbalmente atacada ontem à noite no bar de seu hotel por um grupo de homens…”, disse no post. Até mesmo Anna levou seu descontentamento à seus fãs no Twitter para explicar o quanto ela tem sido afetada por esse incidente: “Desculpem-me se eu não puder mais fazer esse evento em Frankfurt, mas enquanto estes homens não forem identificados e removidos da Feira de Livros eu apenas não poderei dar os autógrafos. Eles nos chamaram de mulheres tristes e estúpidas das quais eles nem querem foder!”.

Em outro anúncio, a autora de 29 anos garantiu a seus fãs que mesmo após a experiência terrível, ela ainda é muito fã da Alemanha: “Eu amo a Alemanha e meus leitores alemães e eu voltarei com certeza para dar autógrafos à vocês.”

O artigo foi escrito por Melanie A. e traduzido por After Brasil.

 

Frankfurter: “Autora Anna Todd faz sessão de autógrafos com medo”
POSTADO POR Douglas Vasquez EM 13.Oct ARQUIVADO EM:Anna Todd Eventos

A autora bestseller disse que sofreu ataques verbais por dois homens em seu hotel em Frankfurt na sexta à noite. É por isso que ela não arrisca ir à feira de livros no sábado. No Twitter, ela escreveu: “A polícia a forçou a deletar o vídeo”.

A autora cancelou a sua participação na Feira de Livros de Frankfurt que aconteceria na tarde deste sábado por medo. Assim como a editora Heyne-Verlag publicou no Twitter, ela foi verbalmente atacada na sexta à noite em seu hotel por um grupo de homens. A editora continua: “O incidente custou muito à Anna e ela não se sente mais segura na feira.” Anna Todd disse também via Twitter: “Espero que me perdoem por não participar do evento em Frankfurt, mas estes homens ainda não foram identificados e por isso não foram removidos da Feira de Livros”, continua, “Eles nos chamaram de mulheres tristes e estúpidas das quais eles não querem foder”.

O incidente aconteceu no bar do Marriott Hotel, onde acontece a Feira. Os homens não são Alemães, segundo Todd. Ela também tweeta que existe um vídeo, mas a polícia a forçou a deletá-lo. “Tanto para a segurança das mulheres”, ironiza. Ela também postou, “O policial me disse que ele nem queria assistir ao vídeo. E se eu não deletasse o vídeo do Twitter eles tomariam o meu celular”. Um representante da polícia disse ao FR no sábado à noite, “Nós não tivemos contato nenhum com Anna Todd. Nem com o hotel, ou se quer ela prestou queixa para nós.”

Quando perguntado, o gerente do Marriott Hotel, Duty Anke Wehmeir disse: “A Senhora Todd abordou um dos meus colegas e pediu ajuda. Ele chamou a polícia, que também veio até o hotel.” Anna Todd se tornou um sucesso internacional por causa de sua série de livros eróticos chamados “After”.

A matéria foi escrita por Kathrin Rosendorff e traduzida pro After Brasil.

Colleen Hoover entrevista Anna Todd para o lançamento de “Stars”
POSTADO POR Douglas Vasquez EM 04.Oct ARQUIVADO EM:Entrevistas Stars

Anna Todd e Colleen Hoover juntam-se para conversar sobre o novo romance de Anna, The Brightest Stars. O suspense/romance de Colleen, All Your Perfects, saiu no verão passado.

Colleen: Acabei de terminar Stars e amei. Qual foi a inspiração para a história?

Anna: Quando estava escrevendo As Garotas Spring, eu ficava tentando pensar no que escrever em seguida. Eu não conseguia parar de pensar sobre o que eu gostaria de escrever. Eu tenho tantas histórias que ficam guardadas enquanto escrevo alguma outra coisa.

Fiquei pensando nesse soldado, quieto, um jovem com muitos segredos dentro dele e apenas grudou em mim. Eu não sabia quem ele era ou o porque ele era daquele jeito, mas eu mal podia esperar para descobrir. Eu me inspirei muito em minha vida como esposa de militar e queria escrever algo que eu fosse muito apaixonada e poderia me identificar.

Acho que posso dizer que eu me inspirei em minha vida, na vida das pessoas ao meu redor e em querer crescer, mas sendo justa com essa parte da minha vida.

C: Você mencionou que Stars é o seu livro mais pessoal até agora. Pode nos dizer o motivo?

A: Porque eu fui esposa de um militar e por isso existem algumas coisas nesse livro que aconteceram em minha vida. Eu realmente tive pessoas vindo até o meu gramado medir a grama com uma régua (você entende mais sobre isso no livro). Mas eu sei que muitas pessoas virão me perguntar se essa história foi a minha vida. Acho que o que foi mais pessoal pra mim foi sentir todas as emoções e me lembrar de quando meu marido tinha ido para a guerra e como ele mudou todas as vezes que voltou pra casa. Ele foi convocado sete dias depois que nos casamos, eu tinha apenas 18 anos.

Eu escrevi sobre as minhas experiências e a da pessoas ao meu redor. É um livro que não foi fácil de ser escrito, mas acho que pra mim — esse é o essencial. Eu tenho tanto respeito e admiração com os militares e as famílias de militares. Acho que pra mim foi no sentido de abrir antigas feridas, mas também honrar as memórias.

É fácil, mas também muito difícil você escrever sobre experiências pessoais, especialmente no livro seguinte, onde houve momentos em que eu queria fugir correndo dessa história por causa da maneira com que fez eu me sentir, mas Karina e Kael não deixaram a minha alma. E a história deles merece ser contada.

C: Suas histórias geralmente contém personagens extremamente cheios de defeitos e problemas sociais. De onde vêm essa inspiração?

A: Tenho muita sorte de ter amigos maravilhosos ao meu lado para me inspirarem todos os dias. Eu me atraio por pessoas que são como eu — que experienciaram altos e baixos na vida — mas chegaram ao outro lado. Eles me ensinam sobre redenção e seguir o seu caminho, não importa como.

O passado não te define, mas claro, ele molda você. Acho que personagens com defeitos são importantes, porque ninguém é perfeito. Não é fácil admitir que você tem problemas, mas é libertador. Acho que meus personagens precisam encontrar essa força e seguir seus caminhos para a redenção, esta é a parte que os torna reais.

E quanto aos problemas sociais — sou muito clara quando ao que acredito. Qual é aquele ditado antigo? “Você tem que defender alguma coisa ou cairá por tudo”. Acho que as pessoa precisam enxergar que você pode apoiar suas crenças de forma positiva. Também faz com que as pessoas se sintam menos sozinhas. Nunca vou me acovardar dos problemas sociais nos meus livros ou em minha vida diária.

C: Nós duas somos conhecidas por fazermos nossos leitores chorarem e os personagens correrem atrás de seus finais felizes. Alerta de spoiler: Stars é o primeiro livro de uma série completamente nova, então a minha pergunta é POR QUE VOCÊ QUIS NOS TORTURAR DESSE JEITO? Quantos livros podemos esperar? Espera. Foram duas perguntas.

A: Eu amo torturar as pessoas! (risos) Angústia é o meu lema e eu amo, amo, amo escrever sobre isso. Pra mim, é importante em uma história porque a vida é cheia de drama. Angústia é parte do que nos torna reais. E se você se sentiu torturada pelo primeiro livro, apenas espere o segundo.

Agora — acho que três livros, mas nunca se sabe. Eu sinto que tem mais dessa história surgindo em minha mente.

C: O que inspira você?

A: Muitas coisas; De música à livros e filmes. Sério, qualquer forma de contar histórias. Eu me inspiro na minha vida, nas pessoas ao meu redor. Acho que consigo encontrar inspiração em qualquer coisa, na verdade.

C: Com qual personagem você se identifica mais: Karina ou Kael?

A: Posso dizer os dois? Acho que um pouco de cada. Eu quero agradar as pessoas e crescer muito rápido, do mesmo jeito que a Karina. Eu também pareço com o Kael no humor e no jeito que ele mantém as coisas pra ele mesmo quando as estão o incomodando. Acho que estou cada vez menos parecida com ele nesse sentido, o que é muito bom.

C: Se você tivesse que escolher apenas um livro pra ler pelo resto de sua vida, qual seria?

A: O Cavaleiro de Bronze. Calma… Morro dos Ventos Uivantes… Ah! É tão difícil.

C: Este é seu décimo livro. Como você cresceu como escritora? As coisas são mais fáceis no livro 10 ou as palavras são mais difíceis?

A: Definitivamente mais difíceis de escrever. Mas é parte da diversão. Sinto que cresço como escritora todos os dias da minha vida. Se não estou melhorando, não estou fazendo muito como escritora. Acho que com o tempo, as coisas se tornaram mais pessoais, e continuo colocando meu coração pra fora e mostrando vulnerabilidade e isso não é fácil, mas sou muito sortuda de ter leitores incríveis que parecem querer continuar nessa jornada comigo e eu os amo muito por isso.

C: Você era um fenômeno literário aos 23 anos. Primeiro, isso me torna famosa por conhecer você? Segundo, você tem alguma dica para jovens escritores por aí?

A: Haha. Acho que sim? Eu não me considero famosa, mas gosto que você se sinta famosa porque você acha que eu sou famosa, haha.

Acho que o meu maior conselho é continue escrevendo. Mesmo quando estiver desencorajado, continue. Sua história merece ser contada e não há experiência ou educação que possam mudar isso. Tudo o que você precisa fazer para ser um escritor é ESCREVER. Não deixe ninguém te dizer algo diferente. Sua história é importante. Mesmo se apenas uma pessoa leia e se sinta afetada por suas palavras, você cumpriu o seu trabalho.

Não escreva para se tornar famoso, escreva porque você tem uma história para contar. Tudo se encaixa em seu lugar.

C: O que os fãs de After vão gostar em Stars?

A: Eles vão poder ver os personagens crescerem, assim como eles viram Hardin e Tessa. Gosto de escrever personagens que se desenvolvem, que você consegue ver todos os lados consegue encontrar um pedaço de você neles. Espero que eles consigam ver que essa história é tão pessoal quanto, mas em uma faceta diferente da vida. Estes são dois personagens diferentes, mas acho que eles vão amá-los (dedos cruzados).

C: Falando em After, você passou o verão filmando o filme. Alguma coisinha dos bastidores que você possa nos contar?

A: Hmmm…. não! haha Mas eu vou te contar que eu sinto saudades do elenco demais. Nós realmente nos tornamos uma família enquanto filmávamos e nós não poderíamos ter escolhido um elenco melhor para este filme. Hero e Jo são, honestamente, Hardin e Tessa perfeitos e você vão amar o filme!!! A química entre eles é louca!

C: Qual é a maior diferença entre escrever um livro e fazer um filme? 

A: Tantas diferenças! Eu amo os dois formatos. Eu aprendi muito enquanto trabalhava no roteiro de After e posso dizer que a maior diferença além do tempo, é que no filme, a não ser que você tenha um narrador, você não consegue traduzir monólogos internos, então tudo o que você quer dizer tem que estar nas expressões faciais, tons, locações. É fascinante de trabalhar e eu mal posso esperar para voltar ao set para o próximo projeto!

Tradução por After Brasil. Leia a entrevista original aqui.

12/05/2018: Encontro de Afternators @ Saraiva Center Norte, São Paulo
05/12/2018: Encontro de Afternators @ Livraria Leitura, Campinas – SP
20/04/2018: Wicked Book Weekend @ Flórida, EUA
24/04/2018: FILBo @ Bogotá, Colombia
25/04/2018: FILBo @ Bogotá, Colombia
05/08/2018: 25ª Bienal Internacional do Livro de SP @ SÃO PAULO, BRASIL
LAYOUT POR : MELISSA S. & GABRIELA G. • SOME RIGHTS RESERVED AFTER BRASIL • HOSTED: FLAUNT.NU
COM